Saúde Super Destaques

Covid matou mais crianças em Minas que todas as doenças com vacinas oferecidas pelo SUS

Reprodução

Nos últimos dois anos, a Covid-19 matou mais mineiros com até 9 anos do que todas as doenças preveníveis com vacinas disponibilizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A comparação comprova a urgência da imunização de crianças contra o coronavírus, medida defendida por médicos e cientistas.

Nesta semana, o Ministério da Saúde deve definir se dá ou não aval para aplicação da Pfizer em meninos e meninas de 5 a 11 anos. A dose já foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Nos últimos dois anos, 78 crianças perderam a vida por complicações provocadas pela Covid em Minas, enquanto 62 duas morreram por pneumonia, 17 por meningite e duas por hepatite. Cabe ressaltar, no entanto, que os imunizantes disponibilizados pelo SUS não protegem contra todas as variações dessas enfermidades, que podem ser causadas por vírus, bactérias ou fungos.

A tuberculose matou uma pessoa dessa faixa etária no Estado nesse mesmo período. Varicela e coqueluche não têm óbito desde 2019. Outras enfermidades, como caxumba, rubéola, sarampo e difteria, não registram nenhuma morte há pelo menos cinco anos.

Para a infectologista Gabriela Araújo Costa, membro da Sociedade Mineira de Pediatria, a imunização de crianças contra o coronavírus é um dos caminhos para o fim da pandemia. “Quanto mais rápido a gente vacinar, menor a chance deles adoecerem e de continuarem transmitindo”, afirma a médica.

Segundo a especialista, o Brasil é um dos países onde mais morreram crianças por complicações do vírus. “Está relacionado a vários fatores, como políticos, sociais, a questão do negacionismo, o atraso na vacina, dificuldade de acesso ao serviço de saúde para fazer um diagnóstico rápido, vaga em UTI para os casos mais graves”.

Com a aplicação do escudo, Gabriela afirma que a tendência é que os números de casos e óbitos infantis caiam e atinjam o mesmo patamar das outras enfermidades imunopreveníveis.

Capital
Conforme Paulo Roberto Correa, diretor de Promoção à Saúde e Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Belo Horizonte, o Executivo está preparado para iniciar a aplicação da vacina contra o coronavírus assim que for disponibilizada. “Não depende mais da gente, só de chegar nas nossas mãos. O planejamento em si já foi iniciado. Vamos fazer como os outros grupos, chamando as crianças por idade”.

Diante da dúvida de muitos pais sobre vacinar os filhos, o diretor garantiu que a PBH já iniciou conversas com as equipes de saúde para incentivar a busca pela proteção. “Elas também participam da pandemia, tanto adoecendo como transmitindo para outras pessoas. Por isso é importante vaciná-las”, concluiu.

Fonte: Hoje em Dia

Eldorado1300

AGENDA

junho 2022
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Redação Redação

Redação Redação

SILVA JUNIOR

Avatar

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.

Rádio Eldorado