Pets

Cuidados com pets no fim de ano: fogos de artifício, o que fazer?

Médica veterinária explica como acalmar os pets durante as comemorações.


Com o fim de ano, novamente vem a preocupação de como proteger os animais de estimação durante as tradicionais comemorações. Pais e mães de pets contam com a missão de proteger o bem-estar dos bichinhos especialmente nesta época do ano, pois os fogos de artifício são verdadeiros pesadelos para os pets.

 

Mas, por que os pets têm medo dos fogos de artifício? Thais Matos, médica veterinária da DogHero, explica que ao escutar sons tão altos, ainda mais de rojões e fogos de artifício, o instinto dos pets entra em ação para fugir de possíveis ameaças. “O forte barulho para os cães e gatos pode remeter a situações de perigo, como na natureza, fazendo com que o bichinho sinta que há algum desastre chegando, e para sobreviver ele precisa fugir do local”.

 

O cão associa o barulho intenso e pouco comum com a movimentação e a desordem que normalmente ocorrem nessas datas. Criando um quadro de fobia que pode, inclusive, resultar em um quadro sintomático de ansiedade, tremores, taquicardia (aumento da frequência cardíaca), vocalização excessiva (chorar, ladrar e latir) e até mesmo óbito em casos extremos.
Thais explica ainda que os principais motivos para que os fogos de artifício sejam considerados o pesadelo dos pets, são: audição apurada – cães escutam até 40.000 hertz e gatos escutam até 65.000Hz. Ou seja, o que é um mero barulho para nós, se torna um estrondo para os pets. Os efeitos luminosos podem bagunçar a visão dos pets. As fortes luzes e brilhos que os fogos de artifício têm, fazem a visão do animal ficar bagunçada, o que piora ainda mais a situação. Algumas raças são mais propensas a serem medrosas. Por uma questão genética, raças como Chihuahua, Dálmata, Galgo, Whippet e Shar-pei têm mais medo de barulhos.

 

Para ajudar os tutores a terem um fim de ano tranquilo, a médica veterinária da DogHero explica como lidar com a situação e acalmar os animais de estimação durante as festas de fim de ano. Confira!

 

Como acalmar pet com medo de fogos de artifício?

Como a fuga é uma das principais ações dos pets em momentos de sons muito altos, como os fogos de artifício, é importante que o ambiente esteja preparado para que não haja possibilidade do animal escapar. Para os tutores de gato, certifique que sua casa está telada: independente se é fim de ano ou não, as janelas devem sempre estar com telas de proteção nas casas em que há rota de fuga. Feche janelas e portas, além de ajudar a evitar fugas, também abafa o som alto dos fogos e rojões. Deixe seu pet com coleira de identificação, pois se por acaso, infelizmente, ele acabar fugindo, se alguém o encontrar, saberá como contatar o tutor.

 

Como acalmar o pet antes da queima de fogos?

Se o animal de estimação for filhote, o melhor é acostumá-lo desde cedo, e aos poucos, a lidar com situações como essa, para que em momentos como a queima de fogos de final de ano, ele não sinta um “choque” com tantos barulhos. As recomendações para acostumar um filhote são as mesmas para um pet adulto, porém, no caso dos adultos, leva mais tempo para o deixá-lo mais tranquilo com a situação.

Para acostumar o animal com sons altos, é recomendado que você deixe uma música ligada no ambiente que o pet está ou até mesmo sons de fogos de artifício, rojões, trovões, e ir aumentando aos poucos na medida que o bichinho for aceitando. Para tornar o momento menos assustador e mais agradável, o ideal é agir naturalmente, sempre com expressões positivas, oferecendo biscoitos e brincando com pet com seus brinquedinhos favoritos. Isso vale para o dia da queima de fogos também.

 

O que fazer para acalmar o pet durante a queima de fogos?
Na hora que chega a queima de fogos, caso seu pet não esteja acostumado ou mesmo assim se assuste, existem algumas técnicas que podem ajudar seu pet para que ele fique mais calmo.
Deixe o acesso livre ao cômodo da casa que o pet gosta mais. Caminhas e caixas de transporte devem estar à disposição. Se o pet quiser se esconder, deixe, não o force a sair do esconderijo e nem reprima o animal por estar com medo. Deixe panos, toalhas, itens com cheiro do tutor na caminha ou caixa de transporte, isso o deixará mais tranquilo e passará segurança. Não deixe o pet sozinho, a sensação de solidão pode deixá-los ainda mais assustados, fique com ele e aja naturalmente.
O tutor não deve parecer assustado e nem tentar protegê-lo, pois o fará o pet acreditar que realmente está em perigo. Passe tranquilidade no ambiente. Use protetores auriculares próprios para pets. Se possível, coloque uma playlist de sons relaxantes para pets, músicas ou até mesmo ligue a TV para distrair o animal de estimação. Se for uma ave, deixe-a em um cômodo seguro, além de fechado para abafar os sons externos.
Outra dica especial é o tabuleiro interativo, criado em parceria com a Petlove, disponível para download, que aborda as questões relacionadas ao medo dos animais e como devemos lidar com eles. “A soltura de fogos, principalmente os com sons, causa bastante medo em muitos animais e isso gera fugas, brigas, acidentes e até casos de óbito e por isso, desenvolvemos esse material a fim de proporcionar o bem-estar animal e, orientar a todos, do médico veterinário ao tutor, quanto essa questão”, afirma Jade Petronilho, Coordenadora de Conteúdo da Petlove.
Sobre a DogHero – DogHero é a maior empresa de serviços para animais de estimação da América Latina. Pelo seu app e site, conecta quem tem pet a uma comunidade de heróis – formada por anfitriões, pet sitters, passeadores e veterinários -, que ajudam na rotina de cuidado com a saúde e bem-estar dos pets. Atualmente, a comunidade de heróis conta com mais de 30 mil cuidadores, que passam por um extenso e rigoroso cadastro e recebem orientação adequada, disponíveis em cerca de 750 cidades no Brasil. Listada pela Tracxn entre os 22 “minicórnios” em ascensão para o ano de 2021, a DogHero foi fundada em 2014 pelos empreendedores brasileiros Eduardo Baer e Fernando Gadotti. Em outubro de 2020, o marketplace de serviços se uniu à Petlove, Vetsmart e Vetus, construindo assim o maior ecossistema pet do país – a Petlove&Co -, com o propósito único de facilitar a rotina de quem tem pet.

Com informações de Fala Criativa

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

COMENTAR

Clique aqui para enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eldorado1300

AGENDA

junho 2022
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

SILVA JUNIOR

Avatar

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.

Rádio Eldorado