Esporte

De olho na parte física, Atlético-MG repetiu escalação em jogos do Brasileirão apenas uma vez

Titulares do Atlético em treino físico — Foto: Pedro Souza/Atlético-MG

Cuca terá missão de formatar o time titular do Glao na reta final do Brasileiro de olho no desgaste das suas principais peças; diante do Fluminense, Diego Costa, Mariano e Keno são dúvidas

Faltam somente quatro jogos para o Atlético-MG encerrar a sua maior participação na história dos pontos corridos do Brasileiro. Próximo do título, a equipe de Cuca está de olho na questão física dos atletas. Até o momento, em 34 rodadas, o líder só repetiu a escalação de um jogo para o outro uma vez.

Foi na vitória contra o Cuiabá, seguida pela derrota diante do Flamengo (28ª e 29ª rodadas) que o Galo foi a campo com a mesma formação, de forma consecutiva: Everson; Guga, Nathan Silva, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan, Jair, Nacho e Zaracho; Hulk e Keno.

Dos 11 jogadores, apenas o lateral Guga é reserva. Há outras disputas, principalmente no ataque, com Cuca podendo optar por um trio ofensivo com Diego Costa, sacando Nacho, por exemplo. Mas a lateral direita ajuda a explicar o motivo de o treinador modificar de escalação, quase sempre, forçado também por lesões, cartões e convocações.

Mariano, titular da lateral direita, fez 22 jogos na Série A, dois a menos do que Guga. Nos últimos seis jogos do Atlético no Brasileiro, em cinco houve a substituição na posição. Ou Guga entrou no lugar de Mariano, ou o contrário. Diante do Fluminense, fica aberta a disputa.

A formação tática é um ponto importante, também. Cuca sabe que Nacho está longe das condições ideiais. Foi titular contra o Palmeiras, com Keno no banco. Pode ser reserva diante do Flu. Eduardo Vargas e Savarino, por exemplo, surgem como potenciais titulares, já que Diego Costa, também, sentiu a sequência de jogos no Allianz, sendo sacado no intervalo.

Diante do Bahia, na próxima quinta-feira, o Atlético completará 70 jogos em 2021; já poderá ser campeão brasileiro, desde que vença o Fluminense e o Flamengo não some três pontos contra o Ceará.

Allan e Jair seguem absolutos no meio de campo, mas também são peças de atenção para a fisiologia. Quem parece não ter problema algum para jogar é Hulk, com 63 partidas pelo Atlético em 2021, apenas o goleiro Everson (onipresente) está no mesmo patamar.

Se eu tivesse a condição ideal, o Keno jogaria desde o início, e o Mariano também. Por questões físicas, clínicas, eles não iniciaram. A gente, dentro de uma normalidade, pretendíamos nem colocá-los. Corremos um risco grande, mas entraram e ajudaram a gente a empatar. Em alguns momentos foram sobrecarregados, principalmente o Nacho, que está voltando de lesão e é um jogador muito importante para nós, temos muita confiança nele. O jogo foi muito pegado, disputado, parecia uma final e campeonato, como a gente imaginava que seria – havia dito Cuca, após empate contra o Palmeiras.

Fonte: ge.globo.com

Eldorado1300

AGENDA

agosto 2022
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Redação Redação

Redação Redação

SILVA JUNIOR

Avatar

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.

Rádio Eldorado