A VW realizou uma videoconferência com jornalistas do setor automotivo para mostrar que o Taos é bem melhor que o líder do segmento Jeep Compass. Em sua explanação, a Volks comparou medidas e massas entre os dois.

De fato, o Taos é 4,4 cm maior em distância entre eixos, 6,7 cm mais comprido e 2,2 cm mais largo. Assim, a marca garante que seu jipinho tem 490 litros de porta-malas, que correspondem a 88 litros a mais que o Compass. No entanto, esse volume é obtido sem aquela tampa que cobre o bagageiro.

A VW também provou por na ponta do lápis que o Compass é mais pesado. Segundo a marca, o “modelo norte-americano” é 136 quilos mais pesado. Para a VW, a menor massa (1.420 quilos) corresponde a menor consumo e mais agilidade. Isso é fato.

Mas nesse caso é preciso bancar o advogado do diabo. O Compass foi um carro desenvolvido para ser um SUV médio, mas com capacidade off-road, que em Detroit eles chamam de Off-Road Ability. E para dar conta de trafegar em terrenos acidentados, chafurdar na lama e atravessar crateras sem deixar que o carro torça, foi necessário reforçar sua estrutura.

Tudo bem que a esmagadora maioria das vendas do Compass são na versão com motor flex e tração dianteira, sem aptidão para cair na lama. Já o Taos não faz esse tipo de exigência. Ele é um SUV urbano de formação. Um carro que será oferecido apenas com rodas aro 18 e pneus de perfil baixo (211/55 R18).

Seu ângulo de ataque de 19° está longe de fazer dele um aventureiro nato, são 10° a menos que o “rival”. Por outro lado, os 24 cm de altura livre do solo permitem que ele passe por buracos e lâminas d’água (não muito profundas). O ângulo e saída de 26,3° também está longe de chegar perto dos 33,1° do colega pernambucano.

Motor e caixa

O Taos é equipado com motor 1.4 turbo de 140 cv e 25,5 mkgf de torque. A unidade é combinada com transmissão automática de seis marchas. Trata-se do mesmo motor do Tiguan e do T-Cross Highline.

Esse bloco é muito mais eficiente que o beberrão 2.0 de 166 cv. No entanto, vale lembrar que o Compass ganhará motor turbo 1.3 de 170 cv, mais ou menos na mesma época em que o Taos fará sua estreia.

Conteúdos

O Taos não tem o mesmo garbo do Tiguan, mas também não será um carro inferior em termos de conteúdos. A VW detalhou seus conteúdos, como controle de cruzeiro adaptivo (ACC), monitor de tráfego cruzado em ré, com frenagem autônoma. A frenagem automática também funciona com o carro andando para frente, a até 50 km/h. Primeiro o carro envia um alerta, se o motorista não responder, ele aplica a frenagem. E finaliza o pacote de segurança o monitor de ponto cego.

O Taos também virá com quadro e instrumentos digital, multimídia VW Play (como no Nivus), ar-condicionado digital, dentre outros recursos para fazer frente ao dono do pedaço e também a novos concorrentes como o esperado Toyota Corolla Cross.

Agora, só falta a VW definir as versões e preços. Pois, sem isso, não dá para cravar que o Taos é o melhor negócio.